Mistério, drama e misticismo no livro "A última noite em Tremore Beach"


Sabe quando você pega um livro e apenas começa a devorá-lo sem saber nada previamente da história? Então, foi o que aconteceu comigo nessa leitura. Me interessei pelo título e principalmente pela forma em que ele estava disposto na capa em tons de azul sombrio.

Título: A última noite em Tremore Beach
Autor: Mikel Santiago 
Editora: Suma de Letras
Ano de publicação: 2017
Número de páginas: 272
Vamos acompanhar a história de um músico chamado Peter Harper, bem famoso por fazer diversas trilhas sonoras cinematográficas. O premiadíssimo compositor está enfrentando um bloqueio criativo e resolve se isolar em uma casa, localizada em Tremore Beach, a fim de trabalhar em certos projetos e entrar em sintonia novamente com sua criatividade. Ao passar algumas semanas, no entanto, Peter é atingido por um raio durante uma terrível tempestade e a partir daí fica mais frequentes sonhos muito similares com a realidade. Ele, então, começa a suspeitar que possa ser um aviso de que coisas tensas virão a acontecer naquele local.

Sendo um best-seller na Espanha, A última noite em Tremore Beach promete agradar aos fãs de um bom thriller psicológico e também de quem curte a escrita de Stephen King. O livro que possui aproximadamente 300 páginas, foi escrito pelo espanhol Mikel Santiago que também é músico, mas garante que não tem nada de biográfico dentro dessa história toda (ainda bem, né!). A história é bem dividida em três partes e em cada uma delas o autor se aprofunda mais nas relações de Peter. Seja com seus vizinhos como na primeira parte, seus filhos na segunda parte ou sua amiga, Judie, na terceira parte.

Um dos pontos mais positivos da trama é o desenvolvimento dos personagens. Por ser narrado em primeira pessoa, ficamos mais íntimos do protagonista Peter e seus pensamentos. Conseguimos entender como se estabelecem suas relações atuais e ainda ficamos bravos quando percebemos que ele vai fazer alguma cagada inusitada. Por outro lado, o mistério que cerca o enredo vai ficando cada mais óbvio quando vai se aproximando do fim da leitura. Dessa forma, para mim, não houve grandes surpresas como era o esperado para esse gênero literário. Ademais, mesmo com certas obviedades, o livro conseguiu me prender em uma leitura rápida, dinâmica e instigante. Uma ótima dica para quem procura uma leitura de verão que não seja os romances praianos clichês que costumamos ler nessa estação do ano.

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem